http://www.youtube.com/watch?v=TKw8_RpenFI&feature=player_embedded

 

Uma tribo indígena sempre mantém a sua tradição, venerando o seu passado e passando isso aos mais jovens. Roupas, pinturas, entre outras coisas, são mantidos e faz com que a história em nenhum momento seja apagada, à mantendo no presente e se fortalecendo no futuro.


O que leva uma pessoa a mostrar somente os olhos? Essa é a cultura muçulmana, de preferência as mulheres desses lugares que sofrem com essa cultura fechada. Isso já faz parte do cotidiano deles há anos e não tende a mudar. É um meio de mostrar respeito ao passado e a tradição que o seu povo sempre impôs. As mulheres usam vestimentas para se preservarem ao máximo. Elas sabem que mudando de opinião, são punidas severamente e por isso, preferem fazer com que essa linha cultural passe de geração em geração.



Um povo muito focado na religião que preserva a beleza da mulher, sempre muito arrumada e com joias por todo o corpo. Pinturas nas mãos também são feitas para chamar ainda mais atenção. Um povo que ensina desde pequeno mulher o que ela deve fazer para conseguir um marido e ir seguindo a linha de tradição familiar

 

O conceito de identidade cultural está diretamente relacionado ao de cultura de massa. Ele surge através das experiências que os indivíduos têm com as músicas, roupas, comidas, livros, e etc, impostos pela cultura de massa.

Nas sociedades tradicionais, o passado é venerado e os símbolos são valorizados porque contêm a experiência de gerações. A tradição é um meio de lidar com o tempo e o espaço, inserindo qualquer experiência particular no passado, presente e futuro.

A modernidade, em contraste, não é definida apenas como uma experiência de convivência com mudanças rápidas e abrangentes, mais uma forma abrangente na qual as práticas sociais são constantemente examinadas e reformadas de acordo com as informações recebidas sobre aquelas próprias práticas, alterando assim seu caráter.

As sociedades modernas são, de fato, sociedades de mudança constante e rápida. Esta é a principal distinção entre as sociedades “tradicionais” e as “modernas”.

Como se afirmar num mundo em constantes mudanças pelo excesso de informação midiática e pela inversão dos papéis sociais? Para os jovens urbanos, o consumo cultural possibilita utilizar a imagem do próprio corpo para incorporar valores, ou seja, não existe realidade sem representação da linguagem; assim a opção por certos tipos de narradores midiáticos da cultura contemporânea põe em foco o simbolismo sobreposto à pele.

 


Fortemente influenciada pelas mídias de massa, a beleza é sem dúvida um  assunto polêmico. As mulheres são bombardeadas diariamente por anúncios com belas modelos, magras, lindas e esbeltas. Inúmeras promessas que fazem uma lavagem cerebral. Esses anúncios criam uma imagem e um rotulo de padrão de beleza, com a promessa de que a mulher seja inserida num meio onde aparentemente só há perfeição.

 

Hoje, mais do que nunca, a sociedade sofre forte influência com a chegada de marcas e mais marcas estrangeiras em nosso território.
O consumo de uma marca estrangeira – na foto, uma bolsa de grife francesa – é sem dúvida alguma sinônimo de Status. Por ser um produto de preço elevado, seja ele quaisquer que seja, é que vai definir o seu papel na sociedade. Resumindo: se uma pessoa que compra, por exemplo, uma bolsa, e desembolsa por ela uma bagatela de R$1000,00 ela será rotulada de rica, alguém que tenha uma boa situação financeira.
Então, o que importa nas grandes rodas sociais é o rótulo que você veste.

 

 

 

 

Um dos principais meios de comunicação, os computadores atualmente são de suma importância para o mundo, pois fazem muitas coisas com uma grande velocidade e precisão, fato que o homem jamais conseguiria sozinho.

 

O Computador portátil é uma “evolução” do desktop. Anos depois do surgimento dos primeiros computadores, a indústria lança cada vez mais modernos, menores e mais finos; a fim de justificar a compra desses produtos pra sociedade. Se deixarmos o encantamento de lado e pensarmos como críticos da cultura de massa, chegamos a mesma conclusão dos produtos anteriormente citados, um notebook de última geração possui a mesma finalidade básica que um notebook novinho, mas a indústria cultural nos faz acreditar que estamos sempre precisando de novos produtos.

 

O ipad é um bom exemplo da cultura de massa. Nós já temos os livros, os celulares, as câmeras digitais, os computadores e muitos outros equipamentos. Qual a real função de um aparelho como o Ipad? Alguns dizem que é para ler, outros porque tem algumas funções básicas de um notebook. O fato é que todos os outros equipamentos citados anteriormente fazem de maneira isolada o que um Ipad pode fazer. Mas, como temos a necessidade de estar na moda e ter os objetos de desejo que o mercado impõe, acabamos comprando produtos desse tipo, sem saber se realmente precisamos.

As primeiras imagens de uma televisão foram mostradas em 1925. Em seguida, com a 2ª Guerra Mundial, a indústria da televisão disparou e seu consumo aumentou enormemente. A televisão em cores só surgiu em 1954. No Brasil a 1ª transmissão aconteceu em 28 de setembro de 1948 – uma partida de futebol.
 

Quase um século depois, inúmeros modelos novos foram lançados. Tecnologia e inovação contribuíram para que novos produtos fossem lançados a cada ano. Hoje, a TV LCD é a mais famosa e talvez a mais usada pela sociedade. Mais uma vez a Cultura de Massa se encarrega de nos aguçar o desejo pelo consumo de novos produtos, mesmo que com a mesma finalidade.

 

A chegada do telefone celular aperfeiçoou a fronteira da sociabilidade, permitindo que as pessoas tivessem maior flexibilidade para se comunicarem. Hoje não precisamos permanecer num lugar fixo para a comunicação pelo telefone, podemos também nos comunicar por mensagem, caso a comunicação oral não seja permitida no momento. A tecnologia sem fio tornou possível o contato nos lugares mais distantes, e principalmente, permitiu o deslocamento no ato da conversa.

 

Surgem cada vez mais novos recursos e melhorias: internet, aplicativos e tantos outros programas extraordinários na palma da nossa mão. E, agora, todos querem um celular sensível ao toque. O iphone, da Apple, é o aparelho de maior sucesso dessa geração. Ainda com tantas novidades que justifiquem novos modelos todos os dias, se compararmos o celular dos anos 80 com o iphone, os dois resolvem da mesma maneira a questão inicial: ter a disponibilidade de se comunicar com alguém que está distante, sem necessitar estar no mesmo local que ela.

Nuvem de tags